Design sem nome (9).png

PROCEDIMENTO PARA VERIFICAÇÃO DE VEÍCULO DUBLÊ OU CLONADO.

                     ATENÇÃO:NOTICIAR AO DETRAN A FALSA EXISTÊNCIA DE VEÍCULO DUBLÊ É CRIME.  

Artigo 340 do Código Penal: “Provocar a ação de autoridade,comunicando-lhe a ocorrência de crime ou contravenção que sabe não se ter verificado: pena – detenção de um a seis meses ou multa”.

Os veículos dublês, externamente, apresentam as mesmas características do veículo original, como a marca, o modelo e a espécie. É utilizado também em alguns casos o cadastro do veículo original para que sejam copiados os mesmos caracteres da placa e adulterados os caracteres de identificação do chassi e/ou os caracteres de identificação do motor. Geralmente, o veículo dublê é oriundo de roubo ou furto, e é utilizado o artifício citado de cópia para “tentar manter o veículo com características de legalizado”, e não simplesmente para transferir as multas para outro veículo. A documentação do veículo também é copiada (falsificada) do original, e a cédula utilizada do Certificado de Registro de Veículo (CRV) e do Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) é fruto de roubo ou furto. Os veículos com placas adulteradas, em tese, têm como intuito burlar a fiscalização de trânsito (por exemplo, os radares fotográficos). Podem apresentar também as mesmas características do veículo original, como a marca, o modelo e a espécie. Nesse caso, ocorre a adulteração somente da placa, mantendo-se os caracteres do chassi e do motor sem adulteração.

É IMPRESCINDÍVEL NOS CASOS DE SUSPEITA DE DUBLÊ / CLONE QUE TENHAM SIDO INTERPOSTOS DEFESA E RECURSOS DAS SUPOSTAS INFRAÇÕES JUNTO AO ORGÃO ATUADOR.

Nos casos em que você for vítima de uma suposta fraude, nós cuidamos do processo para verificação, entre em contato conosco.

Topo